Novo robô auxilia em cirurgia no hospital de Wolverhampton

Novo robô auxilia em cirurgia no hospital de Wolverhampton

Um hospital britânico inova ao usar robôs de apoio em diversos tipos de cirurgias

 

Redator-tradutor: Heitor Augusto Colli Trebien

Notícia original: New robot aiding surgery at Wolverhampton hospital, disponível no site da BBC News

 

Imagem de André Santana no site Pixabay

 

De acordo com a notícia da BBC, robôs estão sendo usados ​​para ajudar a lidar com os atrasos nas cirurgias após a pandemia de Covid-19.

O New Cross Hospital tem dois robôs Da Vinci Xi trabalhando todas as semanas em casos de cirurgia urológica, colorretal, cardiotorácica e ginecológica.

O Royal Wolverhampton NHS Trust disse que, embora as operações robóticas possam demorar mais, há outros benefícios.

Isso inclui estadias hospitalares mais curtas e tempos de recuperação mais rápidos para os pacientes.

Os procedimentos também podem resultar em menos sangramento, redução do risco de infecção, menos dor pós-operatória e cicatrizes menores, disse o hospital trust (trust, nesse caso, refere-se a uma instituição hospitalar que oferece serviços de saúde secundários).

Os instrumentos em miniatura são introduzidos no corpo através de uma pequena inserção e controlados por cirurgiões a todo momento para realizar tarefas específicas.

David Mak, cirurgião urológico consultor, disse que isso significa que as operações podem ser realizadas “com mais acurácia” devido à precisão que os robôs oferecem.

O trust garantiu um novo robô para se juntar a outro que tinha alugado desde setembro de 2020, que realiza cirurgias para diferentes tipos de câncer: como o de próstata, bexiga, rim, pulmão, câncer ginecológico e para o tratamento da endometriose.

Eles também realizam ressecções colorretais, onde uma parte cancerosa do cólon é removida – acredita-se que o hospital seja um dos apenas 20 centros no Reino Unido que oferecem o procedimento.

Pete Cooke, cirurgião urologista consultor, apresentou o primeiro programa de cirurgia robótica urológica em West Midlands para o hospital em 2011.

Desde então, mais de 2.000 pacientes foram beneficiados.

“Ao longo da última década houve uma série de mudanças na cirurgia robótica, e as máquinas agora oferecem recursos avançados com a capacidade de realizar operações cada vez mais complexas”, ele disse.

“Estou muito orgulhoso de ter liderado isso dentro da organização e nossos resultados estão à vista.”

Já está prevista a capacitação da equipe de cabeça e pescoço para que ela comece a realizar alguns de seus procedimentos de forma robótica.