Microsoft aposenta a Internet Explorer depois de 27 anos

Microsoft aposenta a Internet Explorer depois de 27 anos

Segundo Liv McMahon, da BBC News, a Microsoft finalmente começou a aposentar a versão do consumidor do Internet Explorer

 

Tradutor/redator: Heitor Augusto Colli Trebien

Notícia original: Microsoft retires Internet Explorer after 27 years, por Liv McMahon, BBC News 

 

A ‘aposentadoria’ foi anunciada no ano passado, sendo o Internet Explorer 11 a versão final da plataforma. 

Segundo a notícia, o Internet Explorer (IE) foi lançado em computadores desktop Windows em 1995 e, em 2004, já havia conquistado 95% do mercado.

No entanto, atualmente, o Google Chrome, o Apple’s Safari e o Mozilla Firefox são dominantes. 

Os usuários que desejam ficar com a Microsoft estão sendo direcionados para o Microsoft Edge, lançado em 2015, junto com o Windows 10.

À medida que os usuários se apoderaram de novos aplicativos para navegar em plataformas como Google Search, Facebook e YouTube, a popularidade do Internet Explorer foi prejudicada pelo lançamento de navegadores mais rápidos, como Chrome e Firefox.

A ascensão dos smartphones foi o golpe fatal, pois eles ajudaram a mudar o acesso e o uso da Internet para o reino móvel com o navegador Safari pré-instalado da Apple e do Google Chrome em telefones Android.

De acordo com a empresa independente de análise da web StatCounter, o uso de internet móvel e tablet ultrapassou o desktop em todo o mundo pela primeira vez em outubro de 2016.

E no início daquele ano, o StatCounter viu o Google Chrome representar mais de 60% do uso da Internet em desktops em todo o mundo, com a participação combinada do Internet Explorer e do Edge no mercado de desktops ficando atrás do Firefox pela primeira vez.

 

Ondas de possibilidades

 

O Edge ainda mantém um “modo IE” embutido para desenvolvedores e aqueles que buscam acessar aplicativos legados.

A Microsoft diz que o acesso ao seu navegador de desktop legado será mantido em versões mais antigas do Windows, incluindo Windows 8.1, atualizações de segurança estendidas do Windows 7 e versões limitadas do Windows 10.

E o legado do Internet Explorer certamente continuará vivo após sua aposentadoria, tendo sido pré-instalado em computadores Windows por mais de duas décadas.

Em 1995, o cofundador da Microsoft, Bill Gates, disse que o lançamento do Windows 95 – e do Internet Explorer com ele – faria parte dos esforços da gigante da tecnologia para enfrentar a “onda da Internet”.

Embora sua visão de “um microcomputador em cada mesa e em cada casa, executando o software da Microsoft” possa agora parecer uma reminiscência de uma era passada da Internet discada, o Internet Explorer deve ser lembrado como uma das principais ferramentas que moldaram o caminho de como a internet é usada e acessada até hoje.

O Twitter da Reuters ainda republicou fotos compartilhadas do engenheiro de software sul coreano Jung Ki-young de uma lápide criada em homenagem ao Internet Explorer, disponível a seguir:

 

Fonte: repostado por Reuters, de Jung Ki-young

 

Na lápide, encontra-se os dizeres:

“He was a good tool to download other browsers” – “Ele era uma boa ferramenta para baixar outros navegadores”.

Também foram colados post it com homenagens e flores ao redor. A data do “enterro” ficou marcada como 15 de junho de 2022.

O engenheiro ainda disse ao Reuters:

“It was a pain … But I would call it a love-hate relationship because Explorer itself once dominated an era” – “Foi uma dor … Mas eu chamaria isso de uma relação de amor e ódio porque o próprio Explorer já dominou uma era”.

Ele ainda complementou:

“I regret that it’s gone, but won’t miss it. So its retirement, to me, is a good death” – “Lamento que ele se foi, mas não vou sentir sua falta. Então sua aposentadoria, para mim, é uma boa morte”.

Para ler mais, acesse: Reuters.

O Olhar Digital lançou um vídeo em seu canal do YouTube no qual conta brevemente sobre a aposentadoria do Internet Explorer, que pode ser visto a seguir: